Archive for the ‘Por Dentro dos Álbuns’ Category

Álbum de 62: e os escudos das Confederações?

09/06/2010

No último post sobre um dos álbuns de 62, o mais antigo que tivemos acesso até agora, avisei que os detalhes seriam apresentados em várias etapas, para não perder a graça. Hoje o destaque vai para os cromos que atualmente são os brilhantes, mas na época eram apenas figurinhas simples (e bota simples nisso): os emblemas das seleções.

Olhando a página do Brasil, procurei pelo escudo da antiga CBD, só para ver como era, se tinha algo diferente, e não achei! No lugar dele está o brasão de armas, com a bandeira localizada logo acima.

Analisando todas as páginas, vi que aconteceu o mesmo com todos os países. Todos os escudos são o brasão nacional, não o da confederação esportiva, além de serem acompanhados pelas bandeiras, que hoje só aparecem nos álbuns quando dá algum problema com o licenciamento. Um tanto ufanista, eu diria.

A Inglaterra não foi apresentada no álbum com sua bandeira própria como acontece atualmente e sim com a bandeira do Reino Unido (Union Flag)

Bem, o motivo disso eu não sei. Mas é curioso conhecer os brasões de todos os países… Geralmente conhecemos apenas os escudos de futebol! Confiram abaixo o restante dos brasões:

Rússia e México

Iugoslávia e Itália

Hungria e Espanha

Colômbia e Chile

Tchecoslováquia e Bulgária

Argentina e Alemanha

Uruguai e Suiça

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Na sexta-feira, dia da nossa próxima postagem, terá início a COPA DO MUNDO 2010! Certamente a data mais esperada do ano. E podem se preparar para novidades aqui no blog!

Da série “Merece um post próprio”: Chile 74

07/06/2010

E por que raios uma seleção que caiu na 1° fase, só fez um gol  – Sergio Ahumada, não ganhou nem da Austrália e não tinha jogador famoso merece um post próprio?

Porque o Chile de 1974 possui as PIORES MONTAGENS DA HISTÓRIA DA COPA DO MUNDO. Mas assim, fácil! Lembram do Top 5 que criamos com as figurinhas mais bizarras da história dos álbuns? Então, o Chile de 1974 estava lá. Podíamos colocar alguns deles, mas escolhemos apenas um. Calma, já já eu relembro. Se bem que você já deve ter clicado no link. NÃO LÊ, ESPERA AÍ! Ou não.

É comum a Panini apelar para montagens. Sei lá se ela não consegue chamar todos os jogadores para bater uma fotinho no meio de um treino, ou se é por preguiça que ela prefere pegar uma foto do cara aleatoriamente e colar em uma camisa de sua seleção. Há muita coisa NOJENTA, eu diria, por aí, mas vamos focar no Chile.

Observem LEONARDO VÉLIZ, o terceiro homem da esquerda para a direita na fila mais baixa. Amizade, eu apostaria que, se a Panini falasse que não é montagem, o Seo Véliz tem A CABEÇA ATROFIADA. Além de um vasto bigodón, óbvio. Antonio Arias tem a cabea AMASSADA verticalmente. E ali do lado do Véliz, aliás, tá o Ahumada, o cara que fez gol na Copa. Deve ser ídolo lá. Ou ninguém lembra dele, eu só lembro de Zamorano e Salas. Ou, claro, do ídolo MALDONADO.

Agora, o MITO.

Parece m cara normal – e deve ser mesmo. Mas a proporção de sua JACA em relação a seu corpo é de matar. Incluímos o menino no Top 5 porque… Porque… PÔ, É DESPROPORCIONAL. Tudo bem, não existia Photoshop na época. Mas dava para fazer coia melhor. CADÊ O PESCOÇO? O legal é que a camisa nem tem uma gola definida, a cabeça do Seo Herrera ultrapassa qualquer limite de decencia e normalidade.

Chile 74!

CHI CHI CHI!

LE LE LE!

VIVA CHILE!

Para quem não sabe, eles cantam isso. E eu acho legal para caramba.

Colo-Colo? La U? É o álbum da Copa do Mundo ou da Libertadores?

02/06/2010

O pessoal de hoje em dia está acostumado com álbuns cheios de cores, design moderno, figurinhas autocolantes, brilhantes e tudo mais. Mas como podemos perceber analisando e comparando os posts do blog, nem sempre foi assim. Quanto mais antigo o álbum, mais simples (pra não dizer tosco) ele era. Eu, particularmente, tinha a curiosidade de ver um álbum da “Era Pré-Panini”, ou seja, anterior a 1970. Felizmente, graças a colaboração do Fabiano Pellege, do ‘Blog do São Paulo’, e do Ricardo, do ‘Meu time de botão’, consegui matar minha curiosidade. Chegou até a gente um álbum da Copa de 62! Eu achei sensacional, o álbum traz muitas peculiaridades, e até algumas surpresas!

Bem, o álbum está inteiro em espanhol. Não há aquelas traduções em todas as línguas que são de praxe atualmente. Fico me perguntando se ele é universal ou lançado apenas em um país. Provavelmente a segunda opção… a versão brasileira, creio eu, devia ser diferente dessa. E as figurinhas provavelmente vinham em pacotes de balas, já que o livro ilustrado é entitulado “Caramelos – Campeonato Mundial de Futebol de 1962”.

Mas não vou comentar tudo, tem muita coisa que deixarei para um futuro post. Vamos ao destaque de hoje. Estava eu lá, olhando o álbum, página por página, quando me deparo com isto:

“O que uma foto posada do Colo-Colo está fazendo no álbum da Copa?”, pensei. Prestando mais atenção, você vê que há duas páginas totalmente dedicadas a figurinhas dos clubes da primeira divisão chilena, desde os mais tradicionais, como o próprio Colo-Colo, Universidad de Chile e Universidad Católica, até alguns que pouca gente ouviu falar, como Union San Felipe e Nublense. Veja todos os cromos abaixo:

Ainda não vi todos os álbuns de Copas (espero conseguir um dia), mas acredito que essa tenha sido a primeira e única vez que fotos posadas de times estiveram estampadas no livro ilustrados. Legal, não?

Pôster oficial? Um só? Que nada, faz logo treze!

21/05/2010
Este ano, a Panini aumentou o número de figurinhas para 640. Eram muitas as reclamações sobre figurinhas duplas, falta de autocolantes especiais… E a empresa resolveu atender aos pedidos do público. Tudo muito bom, tudo
muito bem…

Mas ela já foi mais original. Ou, no mínimo, soube aproveitar uma deixa do país anfitrião. 2010, ela colocou a taça na tabela, a última figura do álbum. Divulgou mais amplamente a figurinha do selo, lançou a de Fair Play e até “frase oficial” colocou em adesivo. Beleza, até estádio está em duas figurinhas. Mas em 82…

Ah! Isso não é figurinha, é parte da página mesmo

Toda Copa tem seu pôster oficial. A da Espanha também tinha, claro. Mas TODAS AS CIDADES tinham seus próprios pôsteres! E o álbum colocou todos lá. Menos… O oficial da Copa, sensacional!

E isso também não, afinal é o pôster e ele, no álbum, não estava.

Todos os estádios já estavam presentes. Em algumas edições, vinham acompanhados de fotos da cidade. Nesse caso a aposta foi no pôster. Achei muito mais interessante, tem mais a ver com futebol. E muitos dos pôsteres são curiosos, como o de Gijón. Achei o mais legal. Por ser… Simples! Sou adepto das coisas antiquadas, perdão.

Sevilla - Vigo - La Coruña - Gijón

Valladolid - Valencia - Zaragoza - Malaga

Todos sabemos – e quem não sabe devia saber! – que a Espanha sofre com movimentos separatistas. Cada região, como Catalunha e País Basco, tem vontade de se tornar um país independente. Têm suas seleções próprias, não oficiais, claro. Será que, por isso, cada uma criou seu símbolo especial para a Copa?

Oviedo - Alicante - Elche - Bilbao

Aliás, separadas do resto, em uma página antes, estavam Barcelona e Madrid. Só eu acho que esse “favorecimento” é chato? Prefiro coisas alternativas… Como as cidades-sede ALICANTE E ELCHE, por exemplo!

Madrid - Barcelona

Enquanto algumas seleções têm figurinhas duplas, outras…

17/05/2010

Já cansamos de comentar sobre a VERGONHA que eram as figurinhas duplas, aquelas que muitas seleções tiveram que se contentar em possuir, ver seus jogadores DIMINUTOS no álbum. Outras passaram por “constrangimentos” piores, mas será post mais para frente. Hoje, contarei sobre o oposto disso.

Álbum da Copa do Mundo de 1974, disputada na Alemanha. O álbum do preconceito. Exagero, talvez. Mas veja só. O Zaire, em sua única participação, sofreu com aquilo citado no primeiro post que um dia contarei aqui. Não eram duplas as figurinhas, mas tinham outro problema. O Haiti também. Não gosto de manter suspense, mas nesse caso deu vontade, ok?

Já Alemanha, Itália, Brasil… Seleções fortes, lógico, mas que vemos sempre nos Mundiais. Nunca que elas teriam figurinhas pequenas, páginas a menos… Mas páginas a mais não é exagero?

Para a Panini, não. As três seleções disponham de TRÊS PÁGINAS neste álbum. Veja que era um desperdício de espaço, com ADENDOS desnecessários – em fato, até eram interessantes, como a lista completa de jogos da seleção antes do Mundial, também tema aqui mais para frente – que espalhavam as figurinhas pelas páginas de maneira DISFORME.

Veja que citei aqui vários posts que escreveremos no futuro. O que indica que uma coisinha apenas de um álbum DESENCADEIA uma série de mudanças dentro do mesmo. É importante perceber isso para entender alguns erros e situações que nós, fãs, não gostamos. Claro que os alemães, italianos e… Ops!, brasileiros devem ter curtido o fato de ter página a mais. Não vivi 74, não sei se gostaram. Eu, hoje, não gostaria de ver isso…