Archive for the ‘Diversão’ Category

Penteados da Copa – Parte III (1986 e 1990)

28/05/2010

A série “Penteados da Copa”, que já homenageou os mais exóticos visuais de jogadores dos álbuns de 94 a 2006 chega a sua terceira parte, desta vez exibindo e analisando cromos dos livros ilustrados dos mundiais de 86 e 90. É interessante perceber que, conforme a época, os visuais mais comuns vão mudando, e, com isso, algumas categorias são extintas e outras surgem no lugar delas.

No post de hoje, as categorias “Dreadlocks” e “Ovelhas”, que marcaram presença nas duas primeiras edições da série, foram deixadas de lado, por não contarem com muitos representantes. Na época 86/90 o Bigodinho Super Mario e os Mullets, quando não os dois juntos, estavam em 6 a cada 5 seleções da Copa do Mundo. Além desses, a Barba de Viking e o Blackpower (primos dos Ovelhas) também estavam na moda. Jogadores fora dos padrões, que estavam muito a frente de sua época também têm espaço aqui na categoria Únicos.

Não dá para colocar todos os exemplos de cada categoria, então escolhi alguns que se destacam mais. Então, vamos a eles!

Bigodinho Super Mario – Se eles colocassem um macacão azul e gritassem “It’s-a-me, Mario!”, poderiam tranquilamente se passar pelo famoso personagem dos games da Nintendo. Os cortes de cabelo comuns só deixam mais em evidência as taturanas que esses jogadores cultivavam sobre as bocas. Alguns exemplos da espécie são os búlgaros Petar Petrov e Rusi Gotchev, o iraquiano Abdul Fatah Nussayef, o irlandês Billy Hamilton e o Super Mario mais acabado que eu já vi, Zoran Vulic, da Iugoslávia.

Mullets – Sim, eles permaneceram na série. Afinal, o que são os anos 80 e início dos 90 sem os Mullets? Os caras achavam bonito deixar crescer aquele rabinho… vai entender. Aqui, só entraram os que faziam a barba. Portanto, Chris Waddle, da Inglaterra, Tony Meola, dos EUA  e Joakim Nilsson, da Suécia, garantiram presença.

Blackpower – Os Ovelhas deram lugar a seus ‘primos’ Blackpowers. O Blackpower nada mais é do que um cabelo Ovelha que fica armado. O francês Rust, o argentino Ruggeri e o goleiro brasileiro Carlos são os representantes escolhidos.

Híbridos (Mullets ou Blackpowers + Bigodinho Super Mario) – Esses sim são TROO. Eles não apenas adotam o Mullet ou o Blackpower. Eles adotam o corte de cabelo JUNTO com o Bigodinho Super Mario. Foi só bater o olho que elegi o austríaco Kurt Russ o mestre desta categoria. Mas os outros também não estão muito longe, e brigam de igual para igual para ver quem é mais style: os brasileiros Alemão e Júnior; o uruguaio Eduardo Pereira, que aliás, tem o maior Mullet da História das Copas; o clássico do bigodinho, Völler, da Alemanha e o goleiro mexicano Heredia.

Barba de Viking – Eu me pergunto, porque tanta barba? Para ser respeitado? Pra mostrar que é macho? Não conhece gilete? Não sei, mas o tanto de piolho que esses caras devem ter no rosto não é brincadeira. É claro que estou brincando, afinal,  ter barba ou não é opção de cada um. Mas as barbas de viking desses camaradas chamam tanta atenção que viraram categoria aqui no post. O careca Bruce Wilson, do Canadá, o paraguaio Delgado, que mais parece lutador de UFC, os aspirantes a Vikings húngaros Disztl e Roth e o goleiro uruguaio Rodolfo Rodriguez  são os maiores representantes dos barbudos.

Únicos – Por fim, na categoria ‘Únicos’ desta edição temos personagens famosíssimos no futebol. O craque holandês Gullit, que já foi citado outras vezes aqui, era inovador em 90 ao usar um dreadlock monumental, não visto nem mesmo hoje em dia. E o folclórico goleiro colombiano Higuita, cujo cabelo não consigo encaixar em nenhuma outra categoria, além do bigode e da cara de “galã” inconfundíveis.

Penteados da Copa – Parte II (1994 e 1998)

16/04/2010

Finalmente, após algum tempo, continuamos aqui no blog a série “Penteados da Copa”, agora mostrando os cabelos mais sensacionais dos jogadores que estão nos àlbuns de 94 e 98. Para quem ainda não conhece, nessa série dividimos os jogadores por categorias, basta olhar no primeiro post e ver como funciona.

Nei Paraíba é o símbolo da série "Penteados" por motivos óbvios

Houve algumas mudanças nas categorias. A “Africanos Criativos” foi incorporada à “Dreadlocks” e abriu espaço para uma tipo de cabelo típico de épocas mais antigas, sobretudo 94 para trás: os MULLETS. É válido lembrar que como são muitas figurinhas, não dá para postar todas, então fiquem à vontade para lembrar de algum cabelo que não foi mostrado aqui nos comentários.

Vamos lá, categoria por categoria: Mullets, Dreadlocks, Ovelhas e Únicos.

Mullets
Sim, o corte “Chitãozinho e Xororó” era moda nos anos 80/90. E a quantidade de jogadores que aderiram ao estilo é imensa no álbum de 94. Para que não sabe, o Mullet é aquele chumaço de cabelo que o cara conserva atrás de um corte relativamente curto. Vendo as figurinhas vai dar para entender melhor. O REI, para mim, é o zagueiro brasileiro Ricardo Rocha, que além do Mullet tinha aquele bigode de tiozão. Mas Balboa, Ivanov, Wegerle e até Baggio (o mullet está bem discreto na figurinha, mas só na figurinha) merecem estar aqui também.

Dreadlocks
Chuva de Dreadlocks. Foi difícil selecionar, mas creio que ficaram só os melhores. A dupla da Holanda Gullit e Rijkaard, craques na bola e no cabelo, são o retrato do alto nível de dreads que tivemos entre essas duas Copas. Outro destaque é o sueco Henrik Larsson. Cabelo muito ROOTS. Difícil imaginar que ele agora está careca. E, por fim, o rasta loiro do goleiro sul-africano Baloyi.

Ovelhas
Sim, as homenagens ao ídolo do Rock n’ Roll Ovelha também existiam nessa época. Não eram tão fiéis quanto as mais recentes, é claro, mas o DEUS colombiano Valderrama e seu companheiro Alvarez só podem se encaixar nessa categoria. (O Alvarez é meio Mullets também, mas acho que está mais para ovelha mesmo).

Únicos
Lalas e Balboa. Em 94 já eram bons, mas em 98 eles bateram todos os recordes. Cabelo + barba geraram um visual único, sensacional. Há quem diga que é bizarro… pff… não sabem o que falam. Eu quis imitar, mas tenho barba de office boy e cabelo de Bombril. Uma pena…

Figurinhas, Cards, bonecos… Tem de tudo na Copa 2010!

02/04/2010

O novo álbum da Copa do Mundo já foi apresentado, chega às bancas na próxima semana e certamente é o produto relacionado ao torneio mais esperado do ano, pela tradição e magia que envolve. Mas junto com ele, outro produtos oficiais muito legais estão sendo lançados pela Panini, e se você tiver uma grana sobrando, vale a pena colecioná-los. Eu provavelmente vou ficar só nas amostras que ganhei no evento, senão não consigo encher meu álbum.

Um dos “produtos extras” mais interessantes são os cards da Copa, que funcionam mais ou menos como o tradicional Super Trunfo. No site http://www.paniniadrenalyn.com/, é só fazer o cadastro e  acessar as regras. Para jogar, você precisar ter o tabuleiro específico e, no mínimo, 14 cards, entre goleiro, defensores e atacantes, para formar um time (11 titulares e três reservas).  Cada um tem um valor de ataque e defesa, e você vai comparando esses valores com seu adversário (sempre ataque contra defesa e vice-versa), até acabarem os cards. Dá para brincar numa boa ou pegando o card do perdedor, fica a critério dos jogadores. Basicamente, é isso. Aliás, alguns cards são brilhantes, como as figurinhas de escudos.

Ser brilhante não significa ser craque, vide o goleiro da África do Sul...

Vale lembrar que no site também há o acesso ao MyPanini, onde você pode montar suas próprias figurinhas, como eu e o Noronha fizemos nos nossos perfis neste blog. Certamente vamos fazer figurinhas versão Copa 2010 e colocá-las aqui! Foi febre no Mundial de 2006. No orkut, por exemplo, uma grande parte dos “AVATARES”, as fotos do perfil pessoal, foi transformada em figurinhas.

Outra novidade são os Fut Gogo’s, aquelas miniaturas populares entre as crianças, agora em versão futebol. São 90 bonecos divididos em 9 times, cada um com características  e habilidades próprias de jogo, exibidas nas cartelas abaixo. E eles também terão um álbum com figurinhas! Como vemos, a Copa do Mundo está trazendo vários jogos e coleções, para todos os gostos e idades.

Por último, mas nem por isso com menos importância, falo das revistas-pôster. A Panini elaborou contratos específicos com algumas das principais estrelas de cada país e desenvolveu estas revistas exaltando os ídolos das seleções, com fotos bacanas, frases de efeito e tudo mais. No Brasil, ganharam pôsteres o goleiro Júlio César, os zagueiros Juan e Lúcio e os meias Júlio Baptista e Kaká. O curioso é que Júlio Baptista ganhou um pôster, mas não uma figurinha no álbum. Segundo o diretor de esportes da Panini, Vilson Manfrinati, no álbum foi dada a preferência para os jogadores que vêm sendo titulares, por causa da restrição de espaço.

A pergunta que fica é: Se o critério é esse, porque o Ronaldinho está no livro ilustrado?

A foto do pôster é da VascoPress.

Antes tarde do que nunca!

19/03/2010

Pois é. Como citado no último post, estou coçando as mãos para colecionar o meu PRIMEIRO álbum da Copa. Depois de passar todo esse tempo olhando as edições anteriores, vendo as curiosidades, fatos engraçados e pensando “Como eu fui tão burro de nunca ter colecionado um desses?”, finalmente está chegando a hora de torrar quilos de moedas nas bancas para completar o livro ilustrado. Antes tarde do que nunca, não é mesmo? A divulgação da suposta capa a poucos dias do lançamento me deixa ainda mais ansioso para começar a coleção.

Sei que me decepcionarei quando abrir meu álbum e descobrir que há figurinhas duplas...

Creio que sejam poucos os casos como o meu, de marmanjões de 20 anos que colecionarão pela primeira vez as figurinhas da Copa. Mas os estreantes, sejam eles de 10, 14, 20 ou 40 anos sempre existiram e sempre existirão. E a primeira vez a gente nunca esquece. Por isso você, que vai debutar este ano na prática de colar, trocar, bater bafo com os cromos do maior torneio de futebol do mundo, pode esperar se divertir muito. Além disso, terá em mãos uma peça histórica, uma relíquia pela qual muita gente pagará caro no futuro, se você quiser vendê-la. Bem, o meu ficará guardado, mas cada um cada um…

Em torno do lançamento do álbum, da ansiedade toda, gira uma série de perguntas. Por exemplo, a questão levantada pelo visitante Drausio, em uma de nossas postagens: será que a Coreia do Norte, um país tão fechado, topou aparecer no álbum? Teremos montagens ou espaços em branco? O Beckham não vai mais à Copa. Será esse um dos erros do álbum? Em cerca de 15 dias a gente confere. E é claro, tudo será detalhado minuciosamente aqui no blog.

“Sou boleiro, não coleciono figurinha, coisa de criança”.

08/03/2010

Estamos em 2010, uma época em que a infância está claramente alterada em relação ao que foi nos tempos antigos, tempos ROMÂNTICOS, diriam alguns, ou o tempo em que se amarrava CACHORRO COM LINGÜIÇA (sem trema), diria Felipão. Mas o ato de colecionar figurinhas parece que supera os acasos do tempo e, ao menos na época de Copa do Mundo, volta com força. As crianças de dois até 99 anos compram, trocam, se divertem. Porém…

A onda do momento é dar o tapa e olhar para o outro lado, escrever na internet AxHiMm e usar moicano com litros de gel no cabelo. Idolatrar jogadores europeus, mas não porque assistem seus jogos na ESPN, mas sim porque jogam W11 (Winning Eleven, hoje mais conhecido por PES, Pro Evolution Soccer). Ao ver que tal jogador dribla mais que o Pelé, corre mais que o Usain Bolt e tem mais força na trombada que a família Grace inteira (os caras do Vale-Tudo!), acham que eles são deuses da bola, os melhores de todos os tempos. E imitam suas frescuras.

Cristiano Ronaldo, ou CR7, pros “íntimos”, usava bigode. Imitem isso, quero ver!

Essa geração, torço para isso, terá sua primeira oportunidade de colecionar um álbum de figurinhas da Copa do Mundo agora, mês que vem (sim, abril, mais informações em breve aqui!). Aprenderão a bater bafo, a formar montinhos de figurinha para trocar prendendo com elástico – sim, elástico não é só para cabelo, juvenada. O grande problema é que, para eles, conseguir uma figurinha do Pecnik da Eslovênia não é nada legal, eles só quererão figurinhas, por exemplo, do Ibrahimovic. Chorem, boleirinhos, a Suécia não vai…

Sim, Ibra não joga só no Barcelona. Ele tem um país, e para a Copa não vai.

É, o homem que no W11 sai correndo e trombando em todo mundo dando elástico fazendo embaixadinha e “foquinha” ao mesmo tempo, na vida real, não conseguiu a vaga. E agora, como os boleiros que o tem como deus verão graça no álbum? Calma, a geração metrossexual deverá ver ele, o ícone dessa sexualidade alternativa:

Não usa moicano, mas a tiarinha em 2006 estava presente.

Sou saudosista, talvez. Mesmo tendo apenas 20 anos. Frescura, quem sabe? Mas sou adepto de que jogador exemplar, inclusive nas figurinhas, parece mais um traficante do que uma boneca. Olha a prova aí:

Álbum de figurinha é moldador de caráter. Colecione. E aprenda que futebol é mais do que videogame. É um monte de foto 3×4 também. Infância? Todas as idades…