Figurinhas que calaram o Brasil

by

Entre os mitos das Copas já citados aqui no blog estão o goleiro da seleção peruana Ramon Quiroga (78-82) e o artilheiro Paolo Rossi, da Itália (78 a 86). A posição e a nacionalidade de ambos são diferentes, mas eles têm algo em comum: foram carrascos do Brasil em Copas do Mundo. Na Copa de 78, o goleiro, de nacionalidade argentina, entregou o último jogo do grupo na segunda fase para seu país de origem, que precisava de quatro para se classificar. A Argentina bateu o Peru por 6×0 e o Brasil ficou fora de combate. Em 82, Rossi marcou três vezes na vitória por 3×2 sobre o Brasil na segunda fase e eliminou nossa seleção.

Além desses dois, o Brasil já teve outros carrascos, alguns deles responsáveis por eliminações ainda mais traumáticas para os brasileiros. E é claro que eles viraram figurinhas! Então veja a seguir outros dos principais carrascos do Brasil em Copas do Mundo e as figurinhas deles nos anos em que eles nos fizeram suas vítimas.

Alcides Ghiggia (1950) – “Apenas três pessoas calaram o Maracanã: o Papa João Paulo II, Frank Sinatra e eu”. Esta frase foi dita pelo uruguaio Alcides Ghiggia, muitos anos depois de ter feito o gol que arrancou o primeiro título mundial das mãos do Brasil em pleno Maracanã. A final estava empatada em 1×1 quando Ghiggia calou os 200 mil presentes, dando números finais à partida e a taça ao Uruguai. É o maior trauma do futebol brasileiro, apelidado de Maracanazo. Ghiggia virou figurinha no álbum de 70, em uma seção dedicada aos grandes craques de Copas anteriores.

Ghiggia na época da Roma, após a Copa de 50

Johan Cruyff e Neeskens (1974) – O Brasil estava em alta após o tricampeonato em 70, mas não foi páreo para os Países Baixos, ou Holanda, ou Laranja Mecânica, como preferir. O craque Johan Cruyff comandou aquela seleção rumo às finais, onde acabou perdendo. No meio desse caminho estava o Brasil, que tinha Rivelino e Jairzinho. Mas Cruyff e Neskeens colocaram fim no sonho do tetra naquele ano: marcaram um gol cada no 2×0 sobre o Brasil, no último jogo da segunda fase.

Caniggia (1990) – Tem algo pior para o futebol brasileiro do que perder para a Argentina? Pois é, o atacante Caniggia nos deu esse gosto fazendo o gol que eliminou o Brasil nas oitavas-de-final da Copa de 1990. Bem, de certa forma, o gol foi ofuscado pela polêmica envolvendo a água batizada que o massagista da Argentina deu ao lateral-esquerdo Branco. Anos depois, Maradona confessou o fato na mídia argentina… é mole?

Zinedine Zidane (1998) – Mais uma vez a seleção brasileira era favorita, credenciada pelo título conquistado em 94. Chegou à final, embalada pelos gols de Ronaldo, mas a alegria acaba aí. Ronaldo sofreu convulsão antes da partida mas acabou jogando mesmo assim. Não rendeu. O resto do time também não. Quem brilhou foi a estrela de Zidane, que engoliu o Brasil, jogou muito e marcou dois gols na vitória por 3×0 que deu o título à França.


Thierry Henry (2006) – Zidane também jogou em 2006, e muito por sinal, mas o carrasco francês (de novo) do Brasil foi outro. Henry marcou o gol que eliminou a badalada seleção brasileira de 2006, que estava mais preocupada com o marketing do que com jogar bola.

14 Respostas to “Figurinhas que calaram o Brasil”

  1. Luciano Ferreira Calafiori Says:

    Parabéns aos amigos pelo blog. Muito boas lembranças para os amantes do futebol

  2. Lucas José Says:

    parabens pelo blog, muuito legal viajar pelo mundo dos albuns

  3. Nick Says:

    em que copa foi feito o primeiro album de figurinhas? alguem sabe?

  4. André Alfieri Says:

    kkkk

    parabens ao blog ta +qd+

    faltou os franceses de 86 e o Lazaroni de 90 (Carrascos)

  5. Lucas José Says:

    http://colunas.globoesporte.com/memoriaec/2010/04/23/paixao-pelos-albuns-de-figurinhas-das-copas-completa-60-anos-no-brasil/

    aqui fala sobre a historia do albuns

    em 1950 ja havia um album

  6. Eduardo Says:

    Muito bom esse blog. Reviver, mesmo as derrotas, através das figurinhas das Copas é bem legal.

    Comecei a acompanhar as Copas só em 94 com 12 anos. Com 8 anos ninguém gosta de futebol vai !!! :P

    Vi o Baggio perder penalti em 94, vi o Zidane jogar MUITO em 98, vi a família Scolari, com Rivaldo dando show e Ronaldo virando o maior artilheiro da história, e por fim vi a grande decepção do quarteto “fantástico”. Aliás, Rivaldo é um dos grandes injustiçados pela nossa imprensa, ninguém comenta o que ele fez com a amarelinha!

    Nada mal, em 4 copas estávamos em 3 finais!

    Nunca gostei de colecionar albuns de figurinhas, mas agora vejo o qto seria legal ter os albuns dessas copas que presenciei !

    Esse blog merece ser atualizado a cada 4 anos! hehehe

    parabéns pelo blog !!

  7. Gustavo Cardozo Says:

    Achei um erro!!! O Henry eliminou o Brasil em 2006 e não em 2002, não é mesmo.

    Abraços e parabéns pelo blog!

  8. Fabio Says:

    […] Henry marcou o gol que eliminou a badalada seleção brasileira de 2002, que estava mais preocupada com o marketing do que com jogar bola.

    Não seria eliminou a seleção de 2006?

  9. Fabio Says:

    […] Henry marcou o gol que eliminou a badalada seleção brasileira de 2002, que estava mais preocupada com o marketing do que com jogar bola.

    Não seria: “eliminou a seleção de 2006”?

  10. Jonathan Says:

    Henry marcou o gol que eliminou a seleção de 2006. Em 2002 fomos Penta Campeões no Japão/Coréia contra a seleção Alemã.

  11. A Copa do Mundo em Figurinhas! Says:

    Sim, é verdade, cometemos um erro, que já foi corrigido.
    Obrigado pelo aviso!

  12. Rodrigo Says:

    Canniggia = Axel Rose?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: