Mitos de um OU MAIS álbuns. O que importa é a história deles

by

O post do Danilo sobre Mitos das Copas do Mundo que só estiveram em um álbum me fez pensar em outros jogadores com histórias bacanas em mundiais que só estivessem em um álbum. Pesquisando, decidi escrever sobre alguns que até estão em mais de um álbum, mas que deixaram sua marca na Copa em apenas uma; sobre outros que marcaram em mais de uma, estão em mais de um álbum, mas foram esquecidos em outros; e também sobre outros que estão em um só álbum mesmo e não foram citados pelo Pilan. Basicamente, eu decidi é escrever, tentei resumir nesse parágrafo mas ficou uma BAGUNÇA. Daqui para baixo o texto é legal, garanto!

Ramón Quiroga (1978-82) – Ele mesmo, o goleiro peruano nascido na Argentina que se vendeu para seu país de nascimento. Está em dois álbuns – 78 e também 82. Mas o que importa é sua história em 78. Todos sabemos que o Peru poderia perder de até três gols de diferença que o Brasil se classificaria no lugar da Argentina. Seis a zero com a vontade que o Peru jogou não foi surpreendente. O principal suspeito, Ramón Quiroga. Acredito que qualquer brasileiro que comprou o álbum de 78 sentiu vontade de rasgar a figurinha dele…

Paolo Rossi (78-1982-86) – Esteve em três álbuns. E que brasileiro liga para isso? Aposto que a maioria quer apenas é ignorar a página italiana em 82. O homem que eliminou “sozinho” a seleção brasileira “VOA CANARINHO VOA”, da qual eu particularmente não sou fã, mas muitos a consideram uma das melhores da história. Apreciem uma das figurinhas que mais faz o Brasil chorar, Rossi em 82:

Joel Bats (1986) – Esse só esteve em um álbum. E também eliminou o Brasil, veja só. Defendeu pênalti cobrado por Zico no tempo normal das quartas de final, defendeu o chute de Sócrates na disputa de cobranças de pênaltis e ainda assoprou o chute de Júlio César para a trave. Só jogou essa Copa, só esteve nesse álbum.

Roger Milla (82-90-1994) – Milla é simplesmente o homem que, aos 42 anos, marcou um gol em Copa do Mundo, se tornando o mais velho a balançar as redes em mundiais. Estava nesse álbum. Em 1982, estreou em Copas já com 30 anos. Também estava lá com sua foto em 3×4. Mas em 1990, quando surgiu para o mundo de forma brilhante, levando Camarões para uma impressionante quarta de final, a Panini o ignorou. Fica aqui meu tributo à Milla, talvez o maior jogador africano de todos os tempos, com certeza o que mais marcou em Copas.

Andriy Shevchenko (2006) – Inegavelmente um dos maiores centroavantes de sua geração, o maior jogador da seleção ucraniana em todos os tempos – veja bem, Oleg Blokhin, que pode disputar o “cargo” de maior jogador ucraniano, atuou na época da URSS – disputou apenas uma Copa, 2006. E estava no álbum, claro. Não conseguiu levar sua seleção amarela para 2010, perdendo na repescagem para a Grécia – já havia perdido na repescagem para 2002, naquela oportunidade para a Alemanha. Não teve atuações grandiosas na Copa, quase acabou com as chances da Ucrânia ao perder uma cobrança na disputa de pênaltis das oitavas de final contra a Suíça… Mas é mítico, inegavelmente.

7 Respostas to “Mitos de um OU MAIS álbuns. O que importa é a história deles”

  1. Futebol Cartesiano Says:

    Saudações caros parceiros!

    Estamos passando só pra avisar que citamos o Copa do Mundo em 3×4 na segunda edição do nosso podcast (Copa do Mundo de 94) já que este é um blog que nós do FC gostamos tanto.

    A segunda edição no link abaixo:

    http://futebolcartesiano.blogspot.com/2010/04/copa-do-mundo-de-94.html

    Continuem com o ótimo trabalho que vocês vem fazendo para todos nós amantes dos pequenos heróis e do futebol.

    Abraços!

  2. Mauricio Vargas Says:

    po, tai uma ideia legal: figurinhas dos carrascos do Brasil. Desde os holandeses de 74 até Henry em 2006

    • Fernando Says:

      Corrigindo, UM POUCO, o Mauricio, acho que o melhor carrasco pra 2006 seria o Zidane mais uma vez não, afinal…bem não encontro palavras, mas quem viu o jogo sabe do que eu estou falando não…

  3. André Alfieri Says:

    hehe legal o post

    estaria ótimo se falasse do MITO, Hristo Stoichkov

    mas ta legal

    abçs

  4. Thassio H R Lucena Says:

    Continuem postando essas curiosidades.
    Estou virando fã deste blog.
    Parabéns.

  5. Francisco De Laurentiis Says:

    Sei não se Shevchenko é mito… sou mais o Materazzi…

    http://camisasfut.wordpress.com

  6. Braga Says:

    Curiosamente Quiroga nasceu exatos 7 dias após a final da Copa de 50…
    Aproveitando pra parabenizar o blog

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: