Uruguai 1 (4) x (2) 1 Gana – Épico

by

O comum aqui é falar de álbum de figurinhas, e durante a Copa criamos nossa cobertura diferente. Se é boa ou não, vocês julgam. Esperamos que gostem, claro. Mas, agora, quero escrever sobre algo diferente. E como, com todo respeito, o blog é meu, vou escrever. Se o Danilo não gostar, ele reclama comigo depois.

Dizem que o futebol é inútil. Eu mesmo não vejo muita utilidade. E mesmo assim sou doente mental por ele. Gasto dinheiro que não tenho, assumo, para acompanhar meu time. É um erro. Mas tenho 20 anos, moro fora de casa e, mesmo dependendo em várias coisas ainda de meus pais, já tenho certa independência, por sorte. Então gasto com o que gosto. E amo meu time. Amo futebol.

Só um time me havia feito chorar por futebol até o dia 2 de junho de 2010. Lógico, o Santos. Aqui, evitamos citar o time que torcemos, não é algo, digamos, muito jornalístico. Mas nesse texto não vejo problema. Porque, agora, Uruguai e Gana mudaram isso. Ao fim do jogo, após a comemoração dos celestes, senti lágrimas em meus olhos. Porque quem ama futebol se emocionou com a peleja, já histórica.

Antes daquela quarta de final, no mesmo dia, o Brasil havia sido eliminado pela Holanda. Eu não torço para o Brasil, como já falei outras vezes por aqui. Futebolpara mim é torcer para meu time e, entre seleções, torcer para a história. Então, quando a Nova Zelândia sai eliminada invicta de uma Copa, é muito mais legal do que o Brasil com esse time ridículo indo longe.

Uruguai e Gana é um jogo no qual não tem como torcer para uma ou outra. Gana poderia ser a primeira africana em uma semifinal. Isso é motivo para torcer para eles, sim, mas isso faria com que Senegal, para quem tanto torci em 2002 e sei a escalação de cabeça até hoje, não fosse mais a dona da melhor campanha do continente – junto com Camarões-90. Uruguai, pelo motivo da história. Bi-mundial, depois se apequenando, e do nada 23 caras fazendo um país menor que a capital do meu Estado enlouquecer de alegria. Mas eles já foram campeões, é sempre mais legal um inédito. Decidi não torcer. Apenas vibrar e assistir a história sendo feita.

Hino já é algo que me faz ficar emocionado. O uruguaio é espetacular, gosto muito. Já me faz entrar ligado no jogo. Mas o mesmo começou morno, sem grandes emoções. Foi crescendo com o passar dos minutos. Quando Lugano se machucou, muitos enxergaram o desastre celeste. Eu enxerguei a possibilidade da história começar a ser feita. O capitão sair cedo assim? Algo devia acontecer. Forlán pegou a faixa. Líder. Craque do time. Mas Muntari abriu o placar graças às curvas da Jabulani.

Aí Forlán foi lá e deu um chute tão venenoso que Kingson ainda não sabe por onde passou. E, a partir daí, virou um ataque para lá ataque para lá maluco que já transformava o jogo em Top 3 do Mundial.

Foi quando aconteceu o momento que fez Uruguai e Gana ser o Top 1 do Mundial. Talvez, dos mundiais desde 1990, 94, sabe-se lá. Suárez, um ótimo atacante que estava meio sumido, se tornou o maior goleiro da Copa. Me desculpem Enyeama e Benaglio, mas vocês, agora, são banco da seleção da Copa que faremos aqui ao fim do dia 11 de julho. Porque Suárez usou a mão por mais de 3 milhões de  pessoas que, de boca aberta e choro livre, assistiam àquele lance em Montevidéu, Canelones, Rivera e todas as outras pequenas cidades uruguaias. Incrédulo, chorando que nem criança, virou vilão. Mas foi o gesto mais honesto da Copa. Porque deu vida à um país inteiro. No mesmo momento, eu pensei que ele poderia ter feito história se Gyan perdesse o pênalti. Mas Gyan não faria isso.

Fez. E Suárez se tornou herói. Seu choro se tornou sorriso o mais rápido que já presenciei. A cena dele indo para o vestiário, parando para ver o pênalti e voltando para comemorar é a cena da Copa mesmo que na final alguém faça quinze gols de bicicleta e o jogo seja 15 x 14. Um país o amava a partir dali eternamente. E isso é o futebol. Berrei feito idiota na janela de minha casa. Meus vizinhos não devem ter entendido. “QUEM NÃO AMA FUTEBOL TEM QUE SE FODER”, como algum retardado grita isso numa tarde/noite de sexta? Nem eu sei, mas saiu da minha boca repentinamente. Eu amo futebol, e ali, mais uma vez, estava provado o porquê.

O Uruguai, ali, já era campeão. Obdulio Varela, Ghiggia e todos os heróis uruguaios de 30 e 50 já se davam por satisfeitos. Mas eles podiam mais. E foram para os pênaltis. E lá, antes de tudo, Gyan provou que é MACHO. Bater aquele pênalti é algo que não vejo outro jogador fazendo. E colocar no ângulo ainda? Nem Messi. Mas, para a tristeza de toda uma África, Mensah e Adiyiah também bateriam. Principalmente Mensah, que, quando vi que havia dado MEIO PASSO para trás da bola, sabia que ia perder. E eles enterraram o sonho africano. No meio dos pênaltis, um câmera focalizou uma torcedora de Gana chorando, com os olhos totalmente vermelhos. Quem viu, quase chorou junto, de tão forte e bela que é a cena.

Muslera virava herói. Rodolfo Rodríguez e Mazurkievicz se orgulharam. Mas faltava uma cobrança. Forlán, Maxi Pereira e outros conversaram abraçados que Abreu não seria maluco de bater um pênalti, o pênalti mais importante da história da celeste, de seu jeito característico.

Mas louco ele é. E bateu. E um país explodiu em felicidade.

Aposto que o Uruguai explodiu tanto como em 15 de dezembro de 2002, quando Elano empatou a final do campeonato brasileiro para o Santos. Naquele dia, quem estava em Santos pensou que o mundo tinha acabado, tamanho foi o barulho.

Montevidéu devia estar igual. E, se naquele dia eu chorei, era meio óbvio que choraria nesta sexta passada também.

Até o final da Copa, e este final pode ser hoje, sou Uruguai. Porque torço por histórias. E essa é, inegavelmente, a mais bela da Copa de 2010.

About these ads

17 Respostas to “Uruguai 1 (4) x (2) 1 Gana – Épico”

  1. Danilo Pilan Says:

    Era óbvio que o melhor jogo de futebol já visto nos últimos anos merecia um texto especial. Eu não faria melhor, parabéns.

    VAI URUGUAI!

  2. Marcus Says:

    Q texto!!!! Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Rodolfo Matos Says:

    E se trocarmos “Uruguai” por “França” e “Gana” por “Irlanda”?

  4. Thiago P. Says:

    RV, meu velho QUE COMPARAÇÃO SEM SENTIDO FOI ESTA?

    Tu tá comparando duas situações COMPLETAMENTE DIFERENTES!

    1) o henry não foi punido. O Suarez foi (tanto que NÃO JOGARÁ HOJE). A história seria outra se o Gyan tivesse acertado.

    2) O Suarez não tinha alternativa, ou era aquilo ou era gol. E foi o que ele fez, se sacrificou e arriscou.

    3) Repetindo, pq acho que teu raciocínio é meio embaçado: O que mais se queixou de fra x irlanda foi que O JUIZ NÃO FEZ NADA. E aí o juiz fez. O que queria q o cara fizesse? tirasse o goleiro na cobrança?

    Pensa antes de escrever, velho, não fala besteira essa hora do dia

    Abraços

    • Rodolfo Matos Says:

      1) o Henry CONTAVA com a possibilidade do juíz não marcar falta assim como Suárez contou com a possibilidade de Gana não converter o pênalti em gol.

      2) O Henry não tinha alternativa, ou era aquilo ou era a França eliminada. E foi o que ele fez, se sacrificou e arriscou.

      3) O problema não é o juíz, mas a regra. Em casos extremos, isso beneficia quem comete a infração. A regra poderia ter uma variante aplicada a esses casos.

      • Felipe Noronha Says:

        RV, você não comenta mais aqui. Caso comente, será apagado.

      • Thiago P Says:

        HAHAHAHAHAHHAA

        SIM RV, O HENRY NÃO TINHA ALTERNATIVA, Ok, ele não tinha alternativa…

        Qual é a proxima? cê vai falar que O SUAREZ TINHA ALTERNATIVA?

        Meu Pai do céu, to começando a acreditar q tu faz isso por pura trollagem, não é possível que alguém fale TANTA BESTEIRA, veja TODAS AS RESPOSTAS e ainda acredita que tá certo, na moral.

  5. Danilo Pilan Says:

    Ótimo texto do jornalista André Rizek. Recomendo:
    http://migre.me/UJfO

  6. Thiago P. Says:

    Enfim Noronha, ótimo texto. Vi só o final da partida, e só por esse final já posso dizer que foi o mais emocionante. Aliás, Uruguai tá me emocionando a cada partida, bicho, tão merecendo o tri demais!

  7. grego Says:

    Belo texto (exceto quando fala do Santos). E RV quis criar POLEMIKA

  8. Rodolfo Matos Says:

    Cadê a democracia?

    • Felipe Noronha Says:

      Democracia é feita por quem mandfa no blog. Ou você fala coisa com coisa, ou some. Apagamos muitox comentários idiotas por aqui, não custa nada apagar o seu também.

      • Rodolfo Matos Says:

        Discordar de algum artigo sem fazer insultos implica em censura?

  9. Cauê Says:

    RVá a merda.

  10. grego Says:

    RV isso é futebol, não uma aula de ética. Vá assistir golfe e não venha com discursos moralistas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: